Novo

Enxertia de oliveira

Enxertia de oliveira


Enxertia de oliveira

A enxertia, especialmente para a oliveira, permite excelentes possibilidades de enraizamento e boa qualidade de produção. A oliveira, de facto, não se reproduz bem com a semente, dando origem principalmente a variedades silvestres pouco produtivas. Geralmente, a propagação por semente é usada para a oliveira, que deve representar o porta-enxerto. Pelo que acabamos de dizer, podemos afirmar que a enxertia é um dos principais métodos de propagação da oliveira. Esta técnica de cultivo é praticada na agricultura, em viveiros e também em jardins, dada a importância ornamental desta árvore perene do Mediterrâneo nos últimos anos. A enxertia da oliveira é normalmente realizada por cultivadores experientes, mas conhecendo as técnicas adequadas, até o jardineiro pode enxertar a sua própria oliveira ornamental.


Mira

Os objectivos da enxertia, no que diz respeito à oliveira, são promover uma produção de maior qualidade e o surgimento de castas mais resistentes às condições climáticas e às características do solo. Na verdade, sabe-se que a oliveira adora climas temperados e não resiste a temperaturas muito rígidas ou abaixo de dez graus centígrados. A médio prazo, os enxertos de oliveira deram vida a cultivares com um sistema radicular mais robusto, capaz de se enraizar nos solos mais difíceis e em condições climáticas menos do que óptimas. Os dados, nesta frente, porém, não são definitivos, porque a longo prazo também os sistemas de propagação por estacas parecem produzir os mesmos resultados, enquanto os resultados da propagação por semente permanecem marginais, ou completamente ausentes. Na prática da enxertia de oliveira, considerando as peculiaridades desta espécie arbórea, existem dois tipos de enxerto: por semente e por estaquia.


Enxertia por semente

A enxertia por semente usa como porta-enxerto uma muda de oliveira jovem desenvolvida por meio de semeadura. As sementes são retiradas de variedades como Cipressino, Frantoio e Canino. Alternativamente, é possível usar sementes de oliveiras que crescem em viveiros ou de espécies espontâneas. A época da coleta é no final do outono ou início do inverno. As sementes devem ser lavadas e retiradas da gordura, armazenadas em sacos plásticos e em local fresco e seco. Em agosto ou em setembro do ano seguinte, realiza-se a semeadura. As novas mudas de oliveira brotarão dentro de um mês e meio, o mais tardar. Na primavera seguinte terão de ser repotenciados e a enxertia só terá de ser realizada quando atingirem um ano e meio de vida. A segunda variedade de oliveira (nesto) é introduzida no porta-enxerto com a técnica de enxertia de copa, na qual dentro do caule do porta-enxerto, cortado horizontalmente, é feita uma fenda na qual serão inseridos dois ou mais ramos com três gemas (o descendentes) com a ponta mais curta voltada para fora.


Enxerto por estacas

A enxertia por estacas combina a propagação através do uso de estacas com a técnica clássica de enxertia. As estacas são partes da planta retiradas para dar vida a uma nova planta. A amostragem pode dizer respeito às raízes ou aos ramos. A enxertia por estaca é realizada para variedades em que é difícil obter um bom sistema radicular. As estacas são, de facto, retiradas de espécies que têm grande dificuldade em criar raízes. Os mesmos são imersos, por alguns minutos, em uma caixa a temperatura constante, com um certo grau de umidade (a caixa aquecida) e preenchidos com uma solução hormonal. As mudas derivadas das mudas mencionadas são enxertadas em um porta-enxerto com um desenvolvimento radicular mais rápido. A técnica de enxertia usada nesses casos é a técnica de divisão comum, em que uma única muda com três gemas é enxertada em um porta-enxerto cortado horizontalmente.


Outros enxertos de azeitona

A oliveira também pode ser enxertada com outras técnicas de enxertia, embora as de coroa e fendas comuns sejam comumente utilizadas. As técnicas alternativas são enxerto por aproximação e enxerto por olho ou escudo. No enxerto ocular, é retirada uma porção circular de madeira e casca contendo um botão, que é enxertado no porta-enxerto cortado horizontal e verticalmente para formar um T. No enxerto por aproximação, ramos de duas plantas vizinhas são ligados, para fazer eles crescem ao mesmo tempo e incentivam o desenvolvimento de novos ramos. Outro tipo de enxertia da oliveira é a "bico de lúcio", em que os cortes para inserir as mudas têm comprimentos diferentes. Nos enxertos de copa, o comprimento deste último deve ser de cerca de 15 centímetros, enquanto o porta-enxerto, cortado do toco ou de galhos de plantas adultas, deve ter pelo menos seis centímetros de comprimento.


Enxertia de oliveira: período de enxertia

A enxertia da oliveira é feita na primavera, quando a planta está sugando e a circulação da seiva permite maior desprendimento da casca e maior enraizamento entre as áreas do porta-enxerto e câmbio do porta-enxerto. O sucesso do enxerto dependerá também de alguns cuidados particulares, como o uso de facas com lâminas afiadas e bem desinfetadas e cobertura adequada da superfície enxertada. Nos enxertos de copa insere-se aroeira que cobre toda a superfície do porta-enxerto, enquanto no enxerto ocular procede-se a amarrar o enxerto e o porta-enxerto com cordas agrícolas especiais, enquanto as feridas cortadas são sempre cobertas com aroeira ou cera amarela. A amarração deve ser verificada a cada duas semanas para ter certeza de que não causa danos ou restrições no crescimento da planta.



Vídeo: How to make olive seedlings in a simple way.